A PÉROLA DO BOLHÃO

Rua Formosa, Nº279 - Porto
 
Na Pérola do Bolhão, o bacalhau é rebuçado, é o triângulo nadador mais desejado, diz que é especial e precisa de ser demolhado mas depois disso, senhores, é praticamente sagrado. Mas não foi só o bacalhau que deu boa fama a esta casa, das especiaria aos enchidos, passando pelas suadas lagostas, aqui já se vendeu de tudo um pouco, só faltam mesmo as ostras.
 
- Ó menina, venha cá. - Diz o Sr. António Rodrigues Reis (filho) que gere agora a casa fundada pelo pai que levava o mesmo nome (para não haver cá enganos). - Tome lá para o seu trabalho. - Entrega-me uma mica cheia de recortes de jornal. (Pronto, se eu já estava deliciada com as boas vindas dos 3 rapagões de serviço, agora ganhei mesmo o dia). -Olhe aqui como a casa fica cheia no Natal, até faz bicha à porta. Veja lá, até o Goucha cá vem ao bacalhau. - Apontando uma prova incriminatória, depois dos recortes e ele quem me conta a história...
 
Foi uma casa cheia desde que as portas abriram em 1917. A linda fachada Arte Nova despertou a curiosidade dos passeantes, fazendo puzzle de azulejos com duas exóticas moças índias, da responsabilidade da Fabrica do Carvalhinho. Já o interior era uma riqueza, mercearias finas e grossas para encher alforges de Reis Magos. Os anos passaram velozes, A Pérola tornou-se lugar de romaria, foi banqueira e casamenteira, cheia de clientes famosos e outros tantos gulosos. Dizem até que era neste balcão que a virtuosa Guilhermina Suggia vinha comprar a pomada, digo, os figos secos...
 
O sucesso continua, A Pérola ainda está carregadinha de guloseimas, dos frutos secos às bebidas espirituosas, dos rebuçados aos enlatados, passando pelos melhores enchidos do país, ou seja, quase tudo o que o porco pode oferecer, exceptuando talvez a função de mealheiro. 
 
Saio de lá risonha, com muitos beijinhos e obrigados e bolsos cheios de bombons a rebentar de recheio, era isso ou as alheiras.... olhem, não me couberam nas algibeiras!
 
 
This place has one of the most wonderful facades you will see in Oporto. It was built in 1917, back in the old Art Nouveau days, and then it became one of the most successful grocery shops in the city. It sold a bit of everything, but the secret was the quality of the products that came from far away places. The best seller was the codfish, people would stand for hours in a queue just to buy it for the Christmas supper. Nowadays tradition stays the same, everything you need, whether you are a wise man or a wise woman, you can find it here. That and the true northern warmth.

Adicionar novo comentário

Plain text

  • Não são permitidas tags HTML.
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.