MERCEARIA COUTINHO

Rua 4 de Infantaria, Nº 52 - Lisboa
(mapa)

Às vezes percebemos que Lisboa é uma aldeia. E não é só quando toca o sino ou quando cheira a pão quentinho, é quando se descobre um sítio como a Mercearia Coutinho (isto até dava para cantar).

Os velhos armários amarelos já cá estão desde 1887 (ou MDCCCLXXXVII, como diriam os romanos) data em que a mercearia abriu as portas à freguesia. Neles podemos encontrar quase tudo, do sabão Clarim, ao papel higiénico Smart (a embalagem jura que é coisa tradicional), a Farinha 33, os vinhos das adegas cooperativas, o óleo Vêgê, o detergente Presto, o Sumol, o garrafão D.Policarpo, a batata frita Titi, a frutinha, os vegetais e as guloseimas. Mas melhor que isto tudo só o dono, o Sr.Coutinho.

O Sr. Coutinho chama-se Zé e vai para o céu (toda a gente lhe pede para dizer isso, não sei porquê mas tem graça a valer). Quando era um catraio de 12 anos veio de Fafe, de comboio, para ficar a ajudar os tios na mercearia durante uma semana – ficou 56 anos!

Para além de simpático, o Sr.Zé (que só quer é paródia) é um famosão. Lá na rua toda a gente o conhece da TV, da RTP, da SIC da TVI, dessas iniciais a que nos habituámos a chamar canais. E se puxarmos um bocadinho por ele, começa logo a contar a sua história: da viagem de comboio que parou em todas as estações, à desilusão da tia quando viu chegar um rapaz tão franzino para vir ser “braço direito” do tio (nem o esquerdo, quanto mais), de quando ia de eléctrico ver o Benfica (sócio vitalício, pois claro), da tia Maria Odete Coutinho, a primeira cançonetista a interpretar a Canção do Mar (toma lá Dulce Pontes) e por ai fora.

De vez em quando lá entra um freguês na loja e diz: “Então, Sr. Zé, está bom?” ao que ele responde “Estou em estado de choque! Já agora não quer ganhar o totoloto? São só 90 cêntimos…"

E eu, como em números não me fio, decido pôr mas é 50 cêntimos na máquina das bolinhas que rifam chocolates. Vamos ver se tenho sorte… Sai-me o Vermelho. Espero que seja o Milka gigante….

- Ó que inferno, é o mais pequenino…
- Deixe lá menina, ao menos é do Benfica.
- Ó Sr. Zé, onde é que isto irá parar?
- A menina não sei mas eu cá vou pró céu!


 
Se calhar o Sr.Coutinho em vez de ser vendedor, queria era ser aviador (ou anjinho).
Bem, deixa-me cá tentar outro chocolatinho...
 
 
After the market, there’s nothing more typical than a grocery store, and this one is as typical as you can get. Mercearia Coutinho has been around for more than one hundred years, selling almost everything you need (if you are hungry or thirsty). Here you can find products that are now considered portuguese-vintage. But the best has to be the owner, Sr.Zé, a welcoming old-timer with a lot of stories to tell.

Comentários

Fui lá ontem e o senhor já tinha pouca coisa que ver. Nada semelhante às tuas fotos. :-(

Adicionar novo comentário

Plain text

  • Não são permitidas tags HTML.
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.